30 maio 2010


Hoje acontece o primeiro jogo da decisão do Paraense 2010, um jogo que não somente decide quem pode por o caneco na prateleiras, mas que pode ser escolhido para um momento reflexivo, na vida dos grandes do futebol rei do Norte.

O que acontece hoje no campeonato Paraense, não e simplesmente um fato isolado, percebo que os mortos estaduais a cada ano que passa são tratados em muitos lugares como uma boa fase preparatorias para as disputas nacionais e com isso os clubes administrados por amadores apaixonados, simplesmente deixam o barco seguir, sem encontrar algum rumo.


Aproveitam para investir em jogadores veteranos,desconhecidos e baratos, em uma aposta sempre de risco. Ao fim do campeonato fazem uma peneirada, e seguem a eterna busca de gente que possa resolver.


Mas os estaduais são deficitários, os clubes grandes patinam nas dividas, e que nessa disputa somente alarga, vejam que o Paysandu em duas partidas decide contra o Águia Marabaense, que lucro vai vir, nenhum.


O time de Maraba joga em um campinho, que com muita boa vontade cabe uns 3 mil adeptos e nada mais, aproveitando o boom económico na regiao, que e composta em sua maioria por estrangeiros, passa a imagem de que tem adeptos e de que e forte, uma mentira, que em muitos casos acaba, a partir do momento em que políticos e empresários locais não enxergarem mais nenhum interesse na parceiria proveitosa.


Remo e Paysandu precisam parar de enganar descaradamente seus adeptos nessa disputa sem futuro e buscarem em cima da verdade, aprumarem o rumo em busca de estarem nas grandes competicoes nacionais. Caso contrario correm o risco de seguirem o então caminho de minha Tuna Luso Brasileira, sumirem no meio desses nanicos.


Postar um comentário