25 setembro 2009

Paulo Henrique Ganso fala que gostaria de jogar no Milan





Em entrevista para o portal Terra.comhttp://www.terra.com.br/portal/, Paulo Henrique Ganso fala, Do marcador mais chato,Carreira,dinheiro,..e afirma que tem um sonho de jogar no Milan Da Italia.
Antes de embarcar para o Mundial do egito PH Ganso fez tres gols em amistoso contra o Olaria sua estreia pelo selecionado sub-20 sera neste Domingo contra a Costa Rica.

Veja a entrevista na íntegra:
 
Terra - Você é um jogador habilidoso. Já enfrentou algum zagueiro que gosta de provocar?
Paulo Henrique:
Eu só peguei marcadores legais, que não falam muita coisa não, mas o mais chato que eu enfrentei foi o Chicão, que costuma falar sempre. Fora ele foi tudo tranquilo.
Terra - Como está sendo a experiência na Seleção?
Paulo Henrique:
Experiência muito boa, eu me adaptei rápido.
Terra - Você arrebentou em um treino da Seleção, é verdade?
Paulo Henrique:
È verdade, fizemos um jogo-treino e eu marquei os três gols da Seleção na vitória sobre o Madureira por 3 a 0.
Terra - Você já sabe alguma coisa das outras seleções do Mundial?
Paulo Henrique:
Não tive informação, o atual campeão não vai estar, que são os argentinos. Vimos o vídeo da Republica Checa, que é um time muito forte.
Terra - Como está o entrosamento e qual esquema tático vai utilizar a Seleção no Mundial?
Paulo Henrique:
Conhecia só o Giuliano e o Boquita. O esquema é praticamente o mesmo do Vagner Mancini no Santos (4-5-1), três meias: o Alex Teixeira pela esquerda, o Giuliano pela direita e eu mais centralizado.
Terra - É uma Seleção Sub-20, mas com jogadores experientes...
Paulo Henrique:
Experiência que vamos tentar colocar em campo e trazer para a equipe Sub-20.
Terra - Você sonha em ser convocado nas duas últimas rodadas das Eliminatórias para a Seleção principal?
Paulo Henrique:
Sonhar não custa nada, mas acho que não. 2010 está muito perto, acho que só para a Copa de 2014, no Brasil.
Terra - Nem se você arrebentar no Mundial Sub-20?
Paulo Henrique:
Esse é meu pensamento, de poder arrebentar no Mundial, ser um dos destaques. Aí quem sabe.
Terra - Você acha que precisa melhorar em algum fundamento?
Paulo Henrique:
Eu preciso melhorar o chute de fora da área, é o fundamento principal do futebol que preciso melhorar bastante.
Terra - Qual seu ponto forte?
Paulo Henrique:
Visão de jogo.
Terra - Algum time do exterior que você gostaria de jogar?
Paulo Henrique:
O Milan é um time que eu gostaria de jogar fora do País.
Terra - Qual o jogo mais emocionante da sua carreira?
Paulo Henrique:
Foi no ano passado, pelos Juniores, na final do Campeonato Paulista contra o São Caetano. Nós precisávamos ganhar e perdemos um jogador expulso com dez minutos de jogo. Foi muito emocionante e com muita vontade conseguimos vencer o São Caetano por 2 a 0.
Terra - Um jogador que você se inspira?
Paulo Henrique:
O Kaká, eu gosto muito dele. No geral, dentro e fora de campo, em todos os aspectos.
Terra - Você já foi comparado ao Pita (ex-Santos e São Paulo) e Alex (ex-Palmeiras e Cruzeiro). Concorda?
Paulo Henrique:
Eu já ouvi muito essa comparação com o Pita, só que eu não o vi jogar. O Alex, desde o tempo que ele estava no Palmeiras, sempre gostei muito dele. A comparação é valida, mas eu me inspiro mais no Kaká.
Terra - O que dizer das críticas sobre você ser um jogador lento?
Paulo Henrique:
No começo da minha carreira diziam isso, que eu era lento, mas as coisas foram mudando, eu fui ficando mais rápido e podemos dizer que hoje eu sou um falso lento.
Terra - Qual o pior momento da sua carreira?
Paulo Henrique:
O pior momento foi quando eu voltei para base duas vezes em apenas um ano (2008).
Terra - Por que você acha que aconteceu isso?
Paulo Henrique:
Acho que ainda eu não estava preparado. Não era a hora certa, mas Deus faz as coisas na hora certa e aquela hora não era a minha.
Terra - O Márcio Fernandes foi campeão com você na base. Porque ele nunca utilizou você no profissional e ainda pediu a contratação do Lucio Flavio?
Paulo Henrique:
Acho que ele tinha a cabeça dele, e achava que precisava de um jogador mais maduro naquela época, pena que não me colocou para jogar, mas tudo bem.
Terra - Qual seu grande sonho?
Paulo Henrique:
Meu grande sonho é ser campeão mundial pelo Brasil, em qualquer categoria, ou até mesmo pelo Santos. Quero ser campeão mundial.
Terra - Já pretende jogar no exterior?
Paulo Henrique:
Quero primeiro fazer história no Santos, ganhar títulos e depois ir para Europa.
Terra - Você é um jovem que tem um salário muito bom no Santos. Quem administra o dinheiro?
Paulo Henrique:
Apesar de ser jovem mesmo, sou eu que administro meu salário. Meu pai e meu irmão também ajudam.
Terra - Com que você gasta esse dinheiro?
Paulo Henrique:
Com roupa, como sou patrocinado, eu não gasto tanto. Gasto mesmo com os amigos e família em restaurantes.
Terra - Você tem visto o Santos jogar?
Paulo Henrique:
Eu vi os dois últimos jogos (Santo André e Botafogo). O último achei que faltou o gol, a equipe marcou bem. Achei que foram bem, pena que o resultado não veio.
Terra - Dá para classificar ainda para a Libertadores?
Paulo Henrique:
Como o campeonato está embolado, eu acredito que dá sim. Se tivesse vencido contra o Botafogo estava em posição privilegiada, mas ainda dá sim para classificar.
Samir Carvalho
Direto de Santos Especial para Terra.com.br
Postar um comentário