26 janeiro 2010

O queimador de camisa





Mesmo depois de uma lavada daquelas, nada justifica a atitude do torcedor alvi-negro, o desesperado adepto justificou depois :
- Estava acompanhado de onze adolescentes. Fomos em dois carros ao Engenhão. Meu filho e seus amigos, alguns muito jovens. Você enfrenta engarrafamento para chegar, perigo de assalto, tiroteio e pedras atiradas (no carro) quando volta pela Linha Amarela ou pela Linha Vermelha. Vai pensando em assistir a um espetáculo, mas presencia o contrário. Uma tragédia. A vaia não está mais adiantando no Botafogo. A irresignação não funciona. Tive um rompante de fúria com a tentativa de chamar atenção, mas não quero servir de exemplo, principalmente para os jovens torcedores - finaliza o advogado, com um pedido aos alvinegros que assistiram à cena.
Siga lendo no Globoesporte.com
Postar um comentário