24 abril 2010

Joga em todas

Com o abacaxi da zaga nas mãos, Alexandre Carioca volta ao centro das atenções. A cada partida, o jogador substitui um colega de equipe, o primeiro foi Sandro, em seguida Tácio e agora Rogério Corrêa. A situação é levada na brincadeira pelo “multi-uso”, que já brinca até com o apelido que recebeu. “Eu sou o ‘Severino’ do Paysandu, onde me botam eu tô indo, até de goleiro, se me colocarem, eu estou lá”, afirmava entre risos, após as atividades.

No entanto, piadas a parte, Alexandre sabe que a missão é mais complicada do que as anteriores, pois a última vez que jogou como zagueiro foi em 2007, quando atuava pelo Volta Redonda. “Naquela época eu fiz o terceiro zagueiro, tem bastante tempo, mas fui bem, na medida do possível”, informa.

O jogador citou entre as dificuldades a possível falta de entrosamento com Victor Hugo e a marcação. “Creio que vai faltar entrosamento sim, pelo tempo que não jogo nessa posição, mas vou procurar dar meu máximo ali para ajudar. Quanto à dificuldade, será na marcação. “É diferente, pois vou ter que marcar o atacante e geralmente eu marco o meio. Vou ter que ficar mais preso na zaga, mas vamos ver durante a partida, no treino deu para segurar”, ameniza o “Severino”. do Diario on line
Postar um comentário