24 maio 2010

O Grande Livro das Bundas

 

"The Big Butt Book" reúne fotos que vão de 1900 até a era da Mulher Melancia para ilustrar o fascínio exercido pela bunda

Clarissa Passos,portal  iG São Paulo

Popular objeto do desejo sexual na América Latina, a bunda sempre foi o centro das atenções ao sul do Equador - mas só recentemente vem ganhando o status de fetiche nos países do norte. O lançamento de "The Big Butt Book" (traduzindo, um trocadilho com "O Grande Livro das Bundas" ou "O Livro das Grandes Bundas") pela Taschen, tradicional editora alemã de livros de arte, capta e reforça a tendência. E inclui um capítulo sobre a maior representante nacional do gênero: Andressa Soares, a Mulher Melancia.
Marie Fanelli também está no Big Butts Book
Em pesquisa feita em fins da década de 90, no Rio de Janeiro, a antropóloga Mirian Goldenberg, autora de "De Perto Ninguém É Normal: estudos sobre corpo, sexualidade, gênero e desvio na cultura brasileira" (editora Record) quantificou a preferência nacional pelo derrière feminino: 23% dos homens apontaram esta como a parte do corpo que mais os atrai sexualmente (a título de curiosidade: a parte do corpo masculino eleita como preferência das mulheres foi o tórax).


 

O livro
Dian Hanson é a editora deste e de outros títulos de arte erótica da Taschen, como "The Big Penis Book" e "The Big Book of Legs" - que reúnem, respectivamente, fotografias de pênis e pernas. Antes de tornar-se editora da Taschen, ela acumulou 25 anos de experiência no comando de várias revistas masculinas nos Estados Unidos. Para ela, ao contrário dos seios, que representam um lado mais materno na iconografia do erotismo, a bunda é "puramente sexual".
"The Big Butt Book" reúne, em 372 páginas, 400 fotografias de derrières, garimpadas em todo o mundo e datadas desde o início do século 20. A coleção vai de fotos do acervo particular de Dian aos cliques da Mulher Melancia feitos por Jorge Bispo para a Playboy, acompanhadas de textos e entrevistas com gente tão variada quanto o ícone do pornô John Stagliano - mais conhecido como Buttman - e o cartunista Robert Crumb. Tudo para ilustrar e contar a história da adoração pelas partes traseiras femininas.
Mulher Melancia: representante brasileira no livro
Assumir o fascínio exercido pela bunda pode ser um desafio para as feministas, mas não para Andressa Soares. "Para ela, não tem o menor problema em ser reconhecida pela bunda", conta Thiago Lucas, jornalista e autor do capítulo sobre a Mulher Melancia. Ele conta que se surpreendeu com a história por trás do mais recente ícone erótico brasileiro: "ela adora dançar e nunca teve pretensão de vulgarizar a dança. Mas sempre sonhou em ser famosa. A princípio, a Mulher Melancia era um fenômeno de verão. Agora ela está em um livro de arte", diz Thiago, que aposta no sucesso do livro em terras brasileiras. "Eu acho que o livro vai ser um hit".
Postar um comentário