23 agosto 2010

Cametá 3 x 1 Remo- "Ajudinha" não deu em nada

Sendo rígido, é possível dizer que o Remo jogou, de fato e de direito, menos de um tempo. Aproximadamente os 20 primeiros minutos iniciais do segundo tempo. Foi só. Os 70 minutos restantes foram de timidez, de dificuldade para criar. Natural, então, a vitória do Cametá por 3 a 1, ontem, no Parque do Bacurau. O resultado negativo, contudo, não teve o poder de alterar a tabela do Grupo A da Série D do Brasileirão. O Remo já era o líder e o Mapará acabou sendo eliminado. O gol de Batista, aos 48 minutos do segundo tempo, deu a vitória ao América-AM por 2 a 1 sobre o Cristal-AP, em Santana, no Amapá, tirando o Cametá da disputa.

No primeiro tempo, o fantasma de um problema antigo. Novamente, o Remo não contou com a inspiração do setor ofensivo de meio-campo. Os apoiadores Gilsinho e Canindé voltaram ser discretos. E dessa vez, a válvula de escape, que são as subidas dos laterais, também não se constituíram como tal.

Agressivo, por sua vez, o Cametá viveu um momento superior desde o início do jogo. O gol anulado de João Gomes, além de uma defesa do goleiro Adriano, comprovam a performance superior dos anfitriões. A partir dos 10, porém, o Leão, por meio de Vélber, sobretudo, conseguiu se livrar mais da marcação sob pressão, realizada pelo Mapará. Foi Vélber quem tabelou e colocou Heliton em condições de marcar. Entretanto, o atacante pecou na finalização. De fato, foi a única chance do time de Giba na etapa inicial. O restante do primeiro tempo se desenrolou com intenso trabalho para o sistema de marcação azulino. Até que numa cobrança de escanteio, a defesa falhou e João Gomes fez o primeiro.

Para dar criatividade ao Leão, Giba mexeu duas vezes. Tirou Gilsinho e Canindé e pôs Samir e Gian. E no segundo tempo, a equipe remista melhorou sensivelmente. Samir, aliás, sofreu a falta, que Marlon cobrou para empatar. Sem chances de defesa para Evandro. Minutos depois, porém, um contra-ataque restabeleceu a vantagem. Balão foi o autor do segundo gol a favor do Cametá. Fazendo justiça, Leandro Cearense fez o terceiro e acabou com qualquer possibilidade de reação. (Diário do Pará)


Postar um comentário