30 março 2011

O técnico da Tuna, Flávio Goiano, avaliou, ontem, como satisfatória a apresentação de sua equipe no amistoso do final de semana, contra o Vila Nova, de Ponta de Pedras.



O técnico da Tuna, Flávio Goiano, avaliou, ontem, como satisfatória a apresentação de sua equipe no amistoso do final de semana, contra o Vila Nova, de Ponta de Pedras. Sem levar em conta o placar de 7 a 1 favorável à Lusa, ele destacou o conjunto do time e, sobretudo o toque de bola, mesmo jogando em um gramado pesado. "Caiu muita chuva antes do jogo, mas mesmo assim o time conseguiu organizar as jogadas", elogiou. "No geral o time se comportou bem, na minha avaliação", declarou. A delegação viajou, no sábado, para a região marajoara, levando apenas um goleiro - Rafael.

Adriano, titular da equipe, e Cléber, segundo goleiro, não puderam acompanhar a equipe. O primeiro, segundo relatou Goiano, estava sentindo um desconforto muscular e, numa conversa com o treinador, pediu para ficar de fora da viagem. "O Cléber levou uma pancada na canela e o local apresentava um inchaço", informou Goiano. Com exceção do gol, o treinador mandou a campo o time titular, formado por Rafael; Leandro, Cristovão, Bruno Prado e Carlinhos Maraú; Dudu, Negretti, Japonês e Adriano Miranda; Fabinho e Felipe Mamão.

No decorrer da partida, Goiano fez várias mudanças no time, utilizando todos os jogadores relacionados para a viagem. Sobre a possibilidade de a Lusa realizar mais um amistoso, que seria o último antes da estreia no returno, o treinador ficou de conversar com o diretor Arnaldo Dantas, ontem. "Ele ficou de tentar acertar mais um jogo", contou Goiano. Mas se a partida não for confirmada, segundo o treinador, "não fará tanta falta". Segundo Goiano, "já deu para ver que o time está bem e em condições de fazer uma boa estreia" na Taça Estado do Pará, dia 3 de abril, contra o Águia, em Belém.

Em que pese o elenco ter perdido o atacante Whelton, que foi para o Atlético-GO, e ter o meia André Barata se recuperando de meningite, a diretoria tunante segue firme na decisão de não contratar ninguém para a sequência do campeonato. O presidente Fabiano Bastos teve uma conversa com Goiano, quando em comum acordo decidiram não trazer mais ninguém. "Vamos dar um voto de confiança ao grupo que temos, até mesmo em função de o time ter feito uma boa campanha no primeiro turno", elogiou Bastos.
Postar um comentário