19 maio 2011

Werner Herzog:Sou fascinado por Garrincha

 
Você sempre acompanhou a história e a cultura no Brasil? Como Garrincha, que você adora tanto e cuja família já visitou?
Sim, mas deixo claro que Garrincha não é cultura nem história. Ele é a alma do Brasil. Poucos países têm uma pessoa sobre quem a gente pode dizer "se você quer conhecer a verdadeira alma deste povo, conheça este homem". Assim era Garrincha.
Ele não era exatamente o símbolo de um esportista perfeito, mas era um homem fascinante.



Exato. Ele era exuberante. E indisciplinado. Um dia jogava maravilhosamente. Em outro bebia antes do treino. Sua figura sempre me atraiu - um personagem contraditório e humano. Ele era só e alegre ao mesmo tempo. Trágico e feliz. Exuberante. Assim é o brasileiro. Cheguei a vir ao Brasil há alguns anos só para pesquisar (e não para fazer nenhum filme) sobre a vida dele. Cheguei a falar, no meu parco português, com uma de suas ex-mulheres.

Aqui e Aqui tem mais da estadia de Herzog na terra dos papagaios . Eu compartilho tudo o que Herzog fala de Garrincha e acerta na mosca.
Postar um comentário