26 outubro 2011

Andrew Jennings não teme Ricardo Teixeira

Jennings: 'Se aparecer morto, farão trabalho por mim








LANCEPRESS!


O jornalista britânico Andrew Jennings, da rede de TV BBC, desembarcou nesta terça-feira em Brasília para depor nesta quarta no Senado sobre as denúncias de corrupção contra o presidente da CBF, Ricardo Teixeira. Jennings já chegou mostrando que não tem medo de ameaças e que vai pegar pesado na revelação de documentos, segundo ele, comprometedores.


- Ricardo, agora é tarde, porque os documentos estão já com a Comissão do Senado brasileiro, então se eu aparecer morto eles podem fazer sem mim, mas eu tenho crianças pequenas. Sou um repórter experiente, por isso o Ricardo Teixeira não vai me intimidar – disse o jornalista a um grupo de companheiros de profissão, dirigindo-se ao mandatário.


Jennings também ataca a Fifa e seus membros, que teriam participação no esquema de recebimento de propina da empresa ISL, para favorecer a companhia na comercialização de direitos de também em Copas do Mundo.


- A Fifa é uma organização criminosa, uma família. E posso dizer isso porque já investiguei a máfia, conheço a máfia, e posso dizer que a Fifa é uma máfia, um sindicato de crime organizado. Eu estou trazendo documentos, e vocês já viram alguns deles na televisão. Eu tenho fatos contra Ricardo Teixeira, eu não trabalho com rumores ou fofocas, somente fatos e documentos – disparou Andrew, aproveitando para alertar Ricardo Teixeira sobre a índole do presidente da Fifa, Joseph Blatter.


- Ladrões precisam uns dos outros, não é verdade? Mas o Blatter vai apunhalar Teixeira pelas costas, se ele precisar – sentenciou.


Apresentação
Andrew Jennings passou a tarde desta terça-feira preparando os detalhes para a apresentação na Comissão de Educação, Esporte e Cultura do Senado, que será nesta quarta, às 10h. Antes, ele passou no gabinete do líder do PSDB na Casa, o senador Álvaro Dias (PR), que foi o autor do requerimento para a presença de Jennings. Para Álvaro, a presença do jornalista será de grande esclarecimento.


- As denúncias dele são graves e de repercussão internacional, abalando a credibilidade da CBF. Precisamos esclarecer isso. Preprarar uma situação adequada para que ele mostre as provas que diz ter. Estamos no processo de Copa e não podemos manter como parceiros do governo federal alguém que esteja em suspeição internacional. Isso justifica a presença do Andrew – comentou Dias.

Postar um comentário