09 fevereiro 2012

4 x 1 foi pouco

Tuna começa goleando na fase semifinal Agora, o Cametá precisa vencer por três gols para ir à final 8 de fevereiro de 2012 Reportagem: Nildo Lima A Tuna deu um grande passo rumo à fase final do primeiro turno do Parazão ao golear, nesta quarta-feira, 8, o Cametá, por 4 a 1, no estádio Francisco Vasquez, na abertura da fase semifinal da competição. Com a vitória, a Lusa não só acabou com a invencibilidade do adversário, que não perdia há sete partidas, como assegurou a maior goleada da disputa até aqui. Agora, a equipe alviverde pode perder com diferença de até dois gols a partida de volta entre as equipe, sábado, às 16 horas, no Parque do Bacurau, em Cametá, que estará na próxima fase. Caso queira avançar na competição, o Mapará terá de fazer o seu dever de casa bem feito, conseguindo uma vitória com, no mínimo, três gols de vantagem. O primeiro tempo foi praticamente todo da Lusa. Até os oito minutos o Mapará foi mais time, ameaçando o gol de André Luis por duas vezes. A partir daí, o jogo mudou de lado, com a Lusa mandando em campo. Superior, o dono da casa abriu o placar aos 22 minutos por intermédio de André Mensalão, num golaço. O Cametá sentiu o gol e, aos 29 minutos, voltou a ter sua rede balançada, desta vez por Lineker, aproveitando rebatida do goleiro Evandro. O Cametá ainda ensaiou a reação, mas na reta final do primeiro tempo, aos 42 minutos, voltou a ser surpreendido pelo ataque tunante, novamente com André Mensalão. A Lusa voltou para o segundo tempo com a mesma vontade do primeiro. Não demorou muito e, aos 8 minutos, numa confusão na área, Edilson, de cabeça aumentou a vantagem para 4 a 0. Após o gol, o time cruzmaltino puxou o “freio de mão” e passou a sofrer pressão do adversário. Depois de desperdiçar três boas chances com Marcelo Maciel (duas vezes) e Soares, finalmente, aos 47 minutos, Rafael Paty anotou o único gol do Mapará. Tuna – André Luis; Sinésio, Bruno Oliveira, Max Melo e Carlinhos Maraú; Diogo, Ilaílson, André Mensalão e Lineker (Marcos Placa/Ramon); Beá e Edílson (Yuri). Técnico: Charles Guerreiro. Cametá – Evandro; Paulo de Tárcio, Tonhão, Hallyson e Souza; Ricardo Capanema, Júlio César, Soares (Leonardo) e Ratinho (Marcelo Maciel); Garrinchinha (Ciro) e rafael Paty. Técnico: José Carlos Amaral (Cacaio) Árbitro:  Joelson  Silva dos Santos Renda: R$ 11.500,00 Público: 1.300 pagantes Deu no portal cultura 3
Postar um comentário