06 fevereiro 2012

Para quem mão acreditava....

Após empate Tuna e Cametá se enfrentam na semi Tensa. Assim que podemos definir como foi a partida entre Tuna e Cametá no estádio do Souza, pela última rodada da fase de classificação do primeiro turno do Campeonato Paraense. Com o empate em 1 a 1, a Águia Guerreira quebrou todos os prognósticos do início da competição e bicou uma das vagas na semifinal. Na quinta colocação e precisando do resultado, a Lusa começou a partida na base da pressão, embora sem organização, levando perigo com o veloz Placa, que tentava se infiltrar na defesa adversária pela direita, e com lançamentos longos do goleiro André Luiz para encontrar o atacante Edilson. Porém, após os dez primeiros minutos de abafa alviverde, o Cametá passou a comandar as ações da partida, controlando o meio-campo com a experiência do trio Paulo de Tarso, Soares e Ratinho, mostrando muita habilidade. E foi a equipe visitante que esteve mais próxima de sair na frente no primeiro tempo. Em três oportunidades, o goleiro André Luiz teve que operar verdadeiros milagres, como uma cabeçada de Jailson dentro da pequena área. Na etapa complementar, a Águia Guerreira entrou mais aplicada no propósito da classificação e começou criando as primeiras chances, como no cruzamento de Sinésio que o zagueiro Hallyson, em tarde inspirada, afastou. Os jogadores sentiram o forte calor que fez no Souza e o ritmo do jogo caiu, tornando-o mais cadenciado. Só que aos 31 minutos o meia Soares colocou o Mapará na frente, em cobrança de pênalti. A partir daí, já que estava fora do G-4, a Lusa foi para cima do adversário e cinco minutos depois o atacante Edilson, pegando a sobra da cabeçada de Yuri, empatou o jogo e classificou a Tuna, e também o Cametá, à fase final do primeiro turno. Charles exalta superação do grupo tunante “Para quem não acreditava, achando que a Tuna ia cair, nós nos classificamos. Temos força, o grupo é bom, agora é decidir e ir rumo ao título”. Este foi o desabafo do técnico alviverde Charles Guerreiro após o empate de 1 a 1, ontem à tarde, no Souza, contra o Cametá. E para chegar tão longe, somente o próprio Charles Guerreiro sabe quais foram as dificuldades que ele, diretoria e seus jogadores passaram. “Nós tivemos dificuldade no início, até a falta de organização e estrutura, mas conseguimos um grupo maravilhoso, um grupo fantástico, que deu uma resposta muito boa quando precisamos dentro de campo e conseguimos nos classificar em cima de uma equipe boa, que toca bola, que é a equipe do Cametá”, resumiu o técnico. CAMETÁ Mesmo tendo jogado mal na primeira rodada, fato admitido pelo próprio técnico Cacaio, de lá para cá o Cametá ganhou entrosamento e tornou-se uma equipe difícil de ser batida, tanto que, depois das sete rodadas disputadas, o Mapará é a única equipe invicta na competição. “Eu acho que o importante de tudo é que a nossa equipe, não apenas nessa partida, mas em todas as outras, soube suportar a pressão do adversário. É uma equipe experiente”, declarou Cacaio ao final da partida contra a Tuna, concluindo: “Agora vamos ver, entra todo mundo zerado”. (portal DOL
Postar um comentário