13 maio 2012

10 anos se passaram da grande palhaçada ferrarista

O que Rubens Barrichello escutou pelo radio, não me interessa. Sei que dentro de alguns anos ele vai escrever um livro qualquer e tentar dar sua versão para o caso. Vai estar velhinho e de bengalas, mas não vai me comover. Barrichello simplesmente destruiu uma parte da historia do automobilismo brasileiro.
 Sim, ele podia dizer não. acelerar e receber a bandeirada..mandar as favas a Ferrari e tudo mais. Mas preferiu seguir ganhando as raspas do alemão. Michael Schumacher não precisava da maldita marmelada, manchou sua carreira para a vida toda. Milhares deixaram de acompanhar a F1..outros como eu passam distante de produtos que tenham cavalos..qualquer coisa que remeta a Ferrari.
 A Ferrari a única escuderia com adeptos de verdade, uma marca reconhecida nos quatros cantos do mundo pode seguir ganhando corridas e vendendo suas toalhas made in china por um longo tempo.... Mas um dia ela vai pagar
caro por isto. Rubens Barrichello...idem. Michael Schumacher..idem..idem





 BATE-BOLA Rubens Barrichello Em entrevista ao LANCENET! LANCENET!:

 Como você lida com o polêmico episódio do Grande Prêmio da Áustria dez anos depois?

 Rubens Barrichello: O troféu da vitória está lá na minha casa (N.R. Michael Schumacher o entregou para Barrichello no pódio), os pontos (por uma vitória) foram pagos pela equipe e, enfim, para mim é uma página virada na minha carreira.

 LNET!: E hoje em dia o que aquele dia representa para você?

RB: Não é um dia para a gente ter um bolo de aniversário e nem é uma data festiva. Mas eu tenho orgulho de ter participado de uma coisa que projetou um mundo melhor para a Fórmula 1.
Postar um comentário