24 setembro 2013

Greve no Diário do Pará - “E o salário, ó!!!”

Do blog do Barata
Segue a transcrição, na íntegra, da mensagem aos leitores dos jornalistas do Diário do Pará e do DOL, que nesta segunda-feira, 23, a partir das 8 horas da manhã, promovem um novo protesto diante do edifício-sede do grupo RBA, na avenida Almirante Barroso. A mensagem intitula-se, irreverentemente, “E o salário, ó!!!”, reproduzindo o bordão celebrizado nacionalmente pelo Professor Raimundo, o personagem imortalizado pelo humorista Chico Anysio (foto). O personagem foi batizado por Chico Anysio como Raimundo Nonato Canavieira, um professor fictício que dedicou sua vida ao magistério e, como típico professor brasileiro, é mal remunerado, daí o bordão célebre - “E o salário, ó!!!” -, acrescido do gesto que junta o indicador e o polegar da mão, sinalizando a remuneração vil. A este se soma outro bordão, igualmente famoso, do Professor Raimundo, que serve para designar rapidez na tarefa a executar: "É vapt-vupt!".
“E o salário, ó!!!
“A você, leitor
“Imagine trabalhar num lugar sem água mineral, sem papel higiênico nos banheiros, sem sabão para lavar as mãos. Um lugar com cadeiras quebradas, aparelhos de ar-condicionado sempre com defeito, baratas, goteiras.
“Nós, trabalhadores do jornal Diário do Pará e do portal Diário Online, não precisamos imaginar. É esse o ambiente de trabalho em que passamos boa parte de nossas vidas preparando o jornal que você lê logo no café da manhã.
“O glamour que cerca nossa profissão encobre a realidade que enfrentamos todos os dias. Mas é para trazer a verdade à tona que iniciamos um movimento em busca de um salário mais justo e melhores condições de trabalho. Tentamos dialogar, mas a direção do jornal, que pertence à família Barbalho, insiste em deixar as coisas como estão. Isso não pode continuar. Há jornalistas ganhando menos de R$ 1.000 como salário. E colegas que trabalham que trabalham cobrindo a violência obrigados a ir para a linha de frente sem coletes à prova de bala ou carros com segurança.
“Já estamos sofrendo com assédio moral e demissões de funcionários que participam da luta. Perguntamos à sociedade paraense: vocês querem esses senhores como representantes políticos?
“Apesar de todas as dificuldades, seguiremos firmes. E precisamos também da sua ajuda. ‘Apenas começamos’, como cantou Renato Russo, um jornalista de formação e coração.
“Comissão dos trabalhadores do Diário do Pará e DOL.”
Postar um comentário