16 novembro 2013

A Tuna nao precisa de um técnico e nem de jogadores..mas sim de um presidente que goste de futebol

Foto/ Mário Quadros/ Via blog do Gerson Nogueira

Depois de ver as duas derrotas tunantes em um mesmo dia e com poucas horas de diferenças ,confesso que me amofinei.Nao há como!
Logo a tarde o time feminino perdeu de 1-0 pelo brasileiro e praticamente se despediu do campeonato.A noite foi a vez dos rapazes em Parauapebas, já vinham de um empate em casa ,0-0 contra Time Negra e uma goleada sofrida em Marabá para o Aguia por 3-0.buscavam um certo fôlego para seguir sonhando mas nao aconteceu, o Parauapebas venceu por 2-1 e assim pode ter colocado uma placa de " fechado" na porta do Souza para a temporada 2014.
A gente pode buscar enes historias ou potocas para explicar os vexames sucessivos no futebol tunante, podemos iniciar pela federação Paraense de Fuleiras, que tudo fazem para ter um campeonato interiorizado e que busca o beneficio de uma única pessoa.Da falta de grana,pois como se sabe sem ela não há futebol que resista,disso e daquilo...
Na atual conjuntura nao tem o menor sentido ficar analisando o trabalho de Lecheva,dos jogadores que veste a gloriosa camiseta ,em sua grande maioria buscando apenas um lugarzinho para passar a invernada e depois partirem para outras paragens.
O nosso problema maior sempre esteve dentro da Tuna,nas suas entranhas.desde que me entendo por adepto tunante que vivo sobresaltado com a eterna suspeita de que um dia irão matar o futebol tunante ,para em seu lugar vir o tal do clube social.
Pois bem,domingo passado sem sono na noite fria do inverno que se inicia comecei a zapear as rádios Belenenses e parei na Marajoara , no programa do Zeca Doido.Fiquei atento para uma chamada com o Zezinho Alírio ,Presidente do Conselho deliberativo da Tuna.
Alírio em reportagem gravada ao programa ,se manifestou com relação aos candidatos que pleiteam a presidência do clube na eleiçao que se aproxima,até aí nada mudou para mim, mas quando o homem falou em futebol de base,minhas orelhas espicharam.
Alírio foi categórico ao afirmar que a morte do futebol de base Tunante aconteceu em 2000 e a partir daí o clube que sempre contou o dinheiro que entrava via negociações de jogadores ,ficou impossibilitado de manter o departamento profissional,falou também que em jogos da Tuna os ingressos pagos por 500 tunantes nao significa nada.
O Presidente do conselho nao deixa claro se é a favor do fechamento do futebol tunante, mas entendi que ele prefere que o social tenha uma nova infraestrutura, aquela coisa de restaurante com grife,piscinas quentes,torneios de petecas e etc.. E acredito que seguindo com as muitas modalidades esportivas amadoras.
Depois que tudo escutei ,pensei e repensei seriamente ,chegando a seguinte conclusão ,se na próxima eleição nao tivermos um presidente que realmente goste de futebol,estaremos muito próximos de ver o nosso time de coração ser morto nas caladas.Entendo que saídas existem,mas para isso vai ser preciso que estejamos atento.
Vamos precisar defender o direito adquirido de torcer nas bancadas do Chico Vasques pela gloriosa Tuna Luso,pouco importa se Sèrie C ou D ou até mesmo na K.Mesmo que sejamos somente 500 vozes.
Resumindo essa triste resenha,precisamos urgentemente de um Presidente amante do bom e sagrado futebol. Agora de uma coisa tenho certeza absoluta, se matarem o futebol na Tuna, todo o resto vai junto.
Postar um comentário