15 novembro 2013

Muricy Ramalho: «É a minha esposa, se não atender eu caio».

Muricy tem lá seus momentos de ataques nas coletivas,quando está perseguido por azias,sai da frente. Mas o cara tem algumas resenhas que sao cheias de entusiasmo e de verdadeira aula do seu dia a dia no futebol e na vida. Murucy usa aquela linguagem simples do subúrbio ou de uma taberna qualquer de interior. Por diversas vezes acompanhei entrevistas feitas por ele e pude comprovar o quanto sua conversa boleira é agradável . Desta vez ele se superou ao atender o telefone da patroa e no meio de uma coletiva,mas também se nao atende,Hein! A casa realmente caía.
Postar um comentário