14 março 2010

Heliton VS Moisés- Hoje tem REXPA



SALES COIMBRA e TYLON MAUÉS

da Redação(Portal ORM)



O Paysandu, por seu turno, tenta logo mais reverter a desvantagem que tem para o maior rival. Depois de uma série de tropeços na fase de classificação, que custaram a cabeça do técnico Luís Carlos Barbieri, o Papão parece ter reencontrado o futebol competitivo que o levou ao título do Parazão do ano passado. O técnico Charles Guerreiro também tem um desfalque, mas conta com a empolgação de uma equipe que deixou a condição de desacreditada para a de igualdade nessa decisão.

É claro que uma derrota poderá abalar a condição do novo treinador, não mais um interino, mas ninguém na Curuzu pensa nisso. Além do bom momento, o time parece ter retomado um fator importante, que andava meio sumido nos primeiros jogos do Estadual: a confiança.

Se os times estão prontos, com o palco não é diferente. O Mangueirão passou por uma pequena reforma, que o colocou em dia com as novas exigências do Estatuto do Torcedor e dos órgãos de segurança do Estado. Entre outros itens, recebeu um sistema de monitoramento por câmeras de segurança, aumentou a altura do guarda-corpo da arquibancada em 20 centímetros e instalou novas canaletas de proteção nas sarjetas ao redor do estádio. Os clubes fizeram a sua parte mantendo os ingressos a preços razoáveis e a promessa é de casa cheia na tarde de hoje.

De quebra, o jogo ainda contará com alguns duelos interessantes: o meia Vélber, do Remo, contra o clube que o projetou nacionalmente; Heliton e Moisés, no confronto das revelações, ou mesmo Adriano e Alexandre Fávaro, destaques do Parazão entre os goleiros.


Treinadores - Um outro duelo bem interessante no clássico não acontecerá exatamente dentro das quatro linhas. Na beira do gramado, estarão os dois comandantes. Aliás, neste domingo, Charles Guerreiro, do Paysandu, e Sinomar Naves, do Remo, bem que poderiam se transformar em mestres do xadrez. Afinal, o jogo deverá ser decidido nos detalhes, em lances bem pensados, como se os técnicos estivessem armando suas equipes em um tabuleiro.

Os estilos são distintos. Se Sinomar é um estudioso, Guerreiro parece falar mais a linguagem do boleiro. Se o técnico azulino, respaldado pelo elenco de jogadores conhecidos, é adepto do futebol ofensivo, o treinador bicolor arma seu time de operários com cautela: fechado, pronto para buscar o golpe fatal nos contra-ataques.
Agora é esperar o apito do árbitro paranaense Evandro Rogério Roman. Se os esquemas já estão solidificados em suas teorias, agora é esperar como eles vão se comportar na prática. Hoje é dia de decisão!


Equipes passaram a semana em ritmos completamente diferentes


Chegou a hora da verdade. No Clássico Rei da Amazônia deste domingo, Remo e Paysandu vão entrar no Mangueirão com o mesmo objetivo, mas apenas um sairá como campeão do turno. Com uma equipe que vem sendo construída e reconstruída ao longo do campeonato, o Bicolor correu por fora e surpreendeu ao chegar à decisão ao desbancar o Independente, fora de casa, na semifinal da semana passada. Já o Leão, que vem formando seu time desde o segundo semestre do ano passado, está invicto na temporada e lidera a competição desde o seu início. E é por isso que só precisa de dois empates para levar a primeira fatia do Paraense para o Baenão.

Os dois times tiveram uma semana bem diferente. Enquanto o Remo gastava energia jogando contra o São Mateus-ES, pela Copa do Brasil, o Paysandu só pensava no clássico. O técnico Charles Guerreiro teve tempo de deixar a sua equipe em ponto de bala para a decisão, além de ter ido ao Baenão na quarta-feira para "espionar" o arquirrival.

Há muito tempo que não se via uma semana tão tranquila na Curuzu. A troca de comando e a virada em cima do Independente, em Tucuruí, serviram para trazer a paz e a confiança de volta. Bem diferente da turbulência dos bastidores das semanas anteriores. 

Por isso, Charles Guerreiro resolveu ousar e mexeu no time. Sem o meia Zeziel, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, ele resolveu escalar a equipe com três armadores: Sandro, Fabrício e Thiago Potiguar. Como precisa da vitória para reverter a vantagem remista, o treinador deverá confirmar a formação mais ofensiva no clássico. "Se não houver nenhum problema até a hora do jogo, a tendência é essa", comentou. O atacante Zé Augusto é outro suspenso.

No Remo, a convincente goleada sobre o São Mateus, no meio da semana, deixou Sinomar Naves ainda mais convicto de que a manutenção do time é a melhor opção para o Re-Pa. A única alteração será a entrada do zagueiro Márcio Nunes na vaga do capitão Pedro Paulo, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.
Para dar ainda mais tempero no já apimentado clássico, neste domingo também estará em jogo a invencibilidade de 28 jogos do Remo - oito jogo pelo Paraense, dois pela Copa do Brasil e 18 amistosos.


PAYSANDU

Alexandre Fávaro; Cláudio Allax, Leandro Camilo, Paulão e Álvaro; Tácio, Sandro, Fabrício e Thiago Potiguar; Moisés e Didi. Técnico: Charles Guerreiro.


REMO

Adriano; Levy, Márcio Nunes, Raul e Paulinho; Danilo Mendes, Fabrício Carvalho, Vélber e Gian; Marciano e Héliton.
Técnico: Sinomar Naves.


Local: Mangueirão
Horário: 16 horas
Ingresso: R$ 20,00 (a) e R$ 40,00 (c)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (PR/Fifa)

Assistentes: Márcio Gleidson Corrêa Dias e José Ricardo Guimarães Coimbra / Regra-Três: Olivaldo da Silva Moraes e Joel Silva dos Santos.
Postar um comentário