10 março 2010

O drama da Portuguesa Santista



Bruno Favoretto do Jornal Placar

"O circo é aqui do lado, mas nós somos os palhaços", urrava Alexandre Fratiano, em protesto da torcida Força Rubro-Verde pra mostrar a situação da Portuguesa Santista, lanterna da série A3 do Paulista.

Enquanto todos falam do Santos de Robinho e Neymar, a vizinha pobre, terceira colocada na A1 em 2003, hoje tem folha de pagamento de 20 000 reais e coleciona cinco derrotas seguidas. Sem falar de seu estádio, o Ulrico Mursa, completamente deteriorado.

Anteontem, o time vencia o Palmeiras B - gol de Gilmar Parrudo, ex-Corinthians. A coisa ia tão bem que, sem querer, o árbitro Norberto Luciano tocou de letra pra Arivélton, da Briosa. Mas, aos 40min e aos 43min da etapa final, o Verdinho virou.

A derrocada começou quando a Briosa entregou o futebol ao empresário Israel de Jesus (o mesmo que é acusado de afundar a Matonense). Em 2006, o time caiu pra A2. Aí chegou Gerson Vieira e sua empresa Brazilian Player. Ele saiu em 2007, mas voltou em 2009, ano da queda pra A3. “A gestão passada queimou o filme. Não querem nos patrocinar. Estou me aproximando do Santos, mas os atletas deles não querem vir pra cá e a prefeitura não ajuda”, lamenta Gerson, que é pai do lateral Douglas, o mais odiado pela torcida.

O Souza tambem seguem por este caminho da Briosa, a cada ano o abandono e' visivel e ninguem, mas ninguem mesmo, faz algo.
Pelo menos os adeptos da briosa da baixada estao na relva disputando algo. enquantos nos cruzmaltinos ficamos a margem.
Postar um comentário