16 novembro 2010

Tuna luso segue treinamentos no Souza, para pegar o Castanhal

O gramado do Francisco Vasques encontra-se irregular. Os materiais de trabalho, incluindo bolas e cones, foram conseguidos através de esforços da diretoria e de torcedores. Longe dos holofotes e passando grande parte dos anos de 2009 e 2010 inativo. Este é o atual quadro em que se encontra o futebol profissional da Tuna Luso Brasileira. Mas, em compensação, vontade e trabalho não faltam para recolocar a Elite do Norte, a Águia guerreira do Souza, de volta à competições regulares.


Os jogadores e comissão técnica mostram-se bastante empenhados em alcançar o objetivo que não é conquistado pelo clube desde 2008: o ingresso à fase principal do Parazão, junto com os seus rivais da capital, Remo e Paysandu. As atividades do elenco tunante tiveram início em 23 de agosto e nestes quase três meses de atividades e alguns amistosos disputados no período, o técnico Zé Carlos acredita que o trabalho diário será recompensado no dia primeiro de Dezembro.“Nós estamos nos preparando para quando chegar o jogo contra o Castanhal conseguirmos o resultado positivo”, afirma, referindo-se ao primeiro desafio da equipe na segunda fase do campeonato paraense, contra a equipe Castanhalense, fora de casa.

O esquema tático tunante seria no momento o 3-4-2-1, com os três zagueiros Cristóvão, Davi, Evair; Hugo de Leon, Euller, Japonês, Júnior; Geovani e Fininho; Jáílson. O elenco demonstra estar bastante motivado, mas também com os pés no chão. “Não devemos colocar a carroça na frente do burro. Precisamos nos classificar para então enfrentarmos Remo e Paysandu”, diz Jaílson, sobre a ansiedade de participar de grandes jogos. “O torcedor pode comparecer (nos jogos), que garra e determinação não vai faltar. Temos certeza na classificação no Parazão de 2011”, garante o confiante atacante, ex- Clube do Remo.

Elenco não reclama da estrutura

Apesar das dificuldades, os salários estão sendo honrados e as condições de trabalho ideais para uma boa preparação. “As condições de trabalho são boas, não nos falta nada. Salários em dia e respaldo da diretoria. Agora é com agente”, afirmou o jogador Bruno. Esse respaldo pode ser um dos motivos do bom ambiente de trabalho da Águia.

Jogadores empenhados, até em atividades consideradas chatas por boleiros, como dois toques e arrancada. Ao mesmo tempo, mostram-se relaxados e alegres, mas com foco no seu principal objetivo deste semestre. O técnico Zé Carlos orienta bastante seus comandados, muitas vezes individualmente. Fora os treinamentos e condicionamento físico, o que restou para a Tuna neste semestre até agora foram amistosos.

O penúltimo resultou na primeira derrota Tunante deste período, 2 X 1 para a equipe do Sató. “Serviu de alerta”, disse Zé Carlos, apesar de confirmar que no segundo tempo foi utilizado a equipe considerada reserva. Na sexta-feira (14), a equipe goleou em jogo-treino, a equipe do real Curió, com grande atuação de Fininho, que marcou 3 gols. Pelo menos por enquanto, não há previsão de novos amistosos. O objetivo, no momento, é o Castanhal.  (Diário do Pará)
Postar um comentário