01 fevereiro 2011

Tuna Luso 0 x 0 Castanhal -Resenha do jogo, Lance a lance

1º TEMPO:
Com a bola rolando, início de pressão castanhalense. Dois escanteios seguidos após as boas cobranças do experiente Soares. Os espaços nas laterais eram providenciais para que o time visitante conseguisse fazer suas jogadas de perigo, deixando a Tuna com dificuldades de sair do seu campo de defesa. Entretanto, o grande momento dos 15 minutos de jogo apareceu com Fabinho, que testou forte e o goleiro fez bonita defesa, colocando a bola para escanteio.

Após esse lance, o jogo ficou, um tanto, ‘preguiçoso’. Nem Tuna e muito menos Castanhal conseguiam levantar o torcedor das arquibancadas da praça esportiva da Cruz de Malta. Era toque para um lado, toque para o outro... Nos 25 minutos, as jogadas não valiam o ingresso. Para não dizer que os jogadores não estavam muito ai para o embate, Fabinho deu uma ‘caneta’ em Sousa e por pouco não consegue o gol.

Nos minutos finais, um pouco de movimentação. Zazá perdeu gol de frente para o lance. No contra-ataque, Soares chutou forte para boa defesa do goleiro Adriano. Aliás, o ex-remista salvou a Tuna Luso de levar o tento do zagueiro Preto Barcarena, aos 42 minutos.

2º TEMPO:
E se o primeiro tempo foi lento, a segunda metade da partida, pelo menos no início, foi eletrizante. A Tuna Luso teve três oportunidades claras de abrir o marcador com menos de cinco minutos de bola rolando. O goleiro Ângelo mostrou o porque de vestir a camisa 1 do Castanhal, após salvar a equipe de Cidade Modelo de começar o segundo tempo perdendo.
Percebendo a fragilidade do seu time, o técnico Luis Carlos Apeú iniciou uma série de substituições. A entrada de Clóvis no lugar do ‘ausente’ Daniel foi a mais importante, já que tinha o objetivo de movimentar o meio-campo. Porém, foi no lance do ‘chuveirinho’ na área que o Castanhal quase marca. O meio-campo Soares cobrou falta com perfeição e a bola bateu na trave do goleiro Adriano.
Esperto, o Japiim da Estrada percebeu que podia chegar ao primeiro gol na partida, através das cobranças de faltas. Atabalhoada, a zaga da Tuna sempre levava perigo nos lances parados de Soares e Flamel. O goleiro Adriano se desdobrava na busca de evitar o pior. O tempo técnico para que os jogadores pudessem se refrescar no forte sol belenense foi importante para que a Águia Guerreira pudesse atrapalhar o ímpeto castanhalense.

Um torcedor ilustre presente no Sousa foi o meio-campo Giovanni, ex-craque da Tuna que brilhou no Santos (SP) e Seleção brasileira. O atleta agradeceu a homenagem feita pelo clube. “Isso é bom. Importante o reconhecimento. Me sinto honrado de receber esse convite e prestigiar o clube”, disse o jogador.

E nada da bola estufar o barbante. Chances até que não faltaram no segundo tempo, mas a finalização errada perseguiu os atletas de Tuna Luso e Castanhal. Cansados, praticamente ‘pediam’ para o árbitro finalizar a partida. E o árbitro deu o apito final aos 50 minutos: 0 a 0, placar final.

Com o resultado, a Cruz de Malta ficou com dois pontos na tabela de classificação, enquanto que o Japiim, um. A segunda rodada do Campeonato Paraense 2011 terá complemento na tarde deste domingo (30), com a partida entre Cametá e Clube do Remo, a partir das 16h, no estádio Parque do Bacurau. (Gustavo Pêna, DOL)
Postar um comentário