18 março 2011

Como é que é?

Depois da peia, os da Travessa Antonio Baena, seguem mudando o rumo da conversa.

Não tem jeito. Passam os anos, os clubes não saem da situação ruim em que se encontram, mas a rivalidade entre Clube do Remo e Paysandu ainda é grande. Nesta quinta-feira (17), em entrevista a Rádio Clube do Pará, o diretor de futebol do Leão, Raphael Levy, acusou a Federação Paraense de Futebol (FPF) de estar favorecendo o Papão em algumas situações. Prontamente, o presidente bicolor, Luis Omar Pinheiro, tratou de responder as acusações.

A polêmica começou quando Raphael Levy reclamou do restante da verba do empréstimo de R$ 1 milhão que foi pedido junto à Confederação Brasileira de Futebol (CBF), através da FPF. Só foi concedido ao Remo o valor de R$ 400 mil, sendo que os R$ 600 mil restantes ainda não caíram na conta do Leão.

E nem devem cair. Isso porque as cotas de patrocínio da Fundação de Telecomunicações (Funtelpa) junto a Remo e Paysandu diminuíram de R$ 1,2 milhão, para pouco mais de R$ 690 mil, e o primeiro valor havia sido dado pelos remistas como garantia para o pagamento do empréstimo com a CBF.
Levy também reclamou de que a FPF teria concedido um adiantamento do recurso da Funtelpa para o Paysandu. O pagamento, que deveria ter sido feito no dia 15 deste mês, teve um atraso. Na última quarta-feira (16), Luis Omar Pinheiro foi até a entidade máxima do futebol local e teria recebido um cheque com o valor, que seria debitado assim que o governo pagasse o atrasado. Resumindo, o dirigente remista afirmou que a FPF estaria favorecendo o Papão nessas questões.

Prontamente, Luis Omar respondeu às acusações, dizendo que não aconteceu nenhuma antecipação de recursos por parte da Federação. “Fui informado que esses valores já até foram pagos na FPF e vou hoje lá para ver como está. Fui pego de surpresa com essa acusação do Levy, que é meu amigo, mas quer transferir a crise do Baenão para a Curuzu. Que eles não confundam ‘alhos com bugalhos’. A FPF nem tem dinheiro, como vai me adiantar alguma coisa?”, indagou o mandatário.

Procurada pela reportagem, a FPF não quis se pronunciar com relação a todo o quiproquó envolvendo a dupla Re-Pa. (Gustavo Pêna, DOL)
Postar um comentário