25 maio 2011

O Pará poderá receber atletas estrangeiros durante a fase de treinos para Rio-2016


Titular da Seel anuncia candidatura para sediar fase preparatória de Rio de Janeiro-2016
O Pará poderá receber atletas estrangeiros durante a fase de treinos para Rio-2016, cedendo estruturas como o estádio Jornalista Edgar Proença (Mangueirão), o complexo da Escola Superior de Educação Física e o ginásio que integra o Parque de Esporte e Lazer - que ainda será construído. 

A afirmação é do titular adjunto da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), Christian Costa, que confirmou a candidatura oficial da capital paraense como sede da fase preparatória. A candidatura foi lançada em evento organizado pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), na Escola Naval do Rio de Janeiro, na manhã de segunda-feira. Caso seja uma das escolhidas, Belém receberá atletas estrangeiros entre 30 e 40 dias antes dos Jogos do Rio.

O "Seminário de Orientações para Representantes de Instalações", evento do COB, reuniu nomes de 155 cidades de 22 Estados, que se candidataram para receber a fase pré-jogo. No total, 385 instalações foram apresentadas. "Estamos buscando atrativos para Belém. São 28 modalidades olímpicas, que vão trazer 900 equipes ao Brasil. Não dá pra ficar todo mundo em uma só cidade", observou o secretário. Ele ainda lembrou que, ano que vem, nos Jogos Olímpicos de Londres, a delegação brasileira vai ficar em Manchester.

Segundo o secretário adjunto, o Pará ganhou dois aliados de entidades esportivas nacionais: Coaracy Nunes, presidente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), e Roberto Gesta de Melo, presidente da Confederação Brasileira de Atletismo (CBDA). 

O secretário afirma que os dois homologarão a candidatura de Belém nas entidades internacionais das modalidades em questão. "Com o compromisso verbal desses presidentes, vejo grandes perspectivas para Belém de receber atletas internacionais", afirma.

Segundo Costa, na campanha de Belém, há uma série de "vantagens naturais" que podem ser usadas como argumentos. Dentre elas, estão o clima, a altitude - no nível do mar -, a temperatura e o fuso-horário, que são iguais aos do Rio de Janeiro. 

"É comprovado que as pessoas precisam de um dia de adaptação para cada hora de fuso-horário, e Belém é muito parecida com o Rio", avalia Christian, lembrando ainda da experiência do Estado em realizar eventos internacionais, como o Grande Prêmio de Atletismo, realizado há pouco mais de uma semana. O secretário ressalta que as despesas das delegações serão pagas pelos Comitês Olímpicos Nacionais (Cons) e Comitês Paraolímpicos Nacionais dos países que participarão da competição.

Para receber os atletas, o Estado vai construir o Parque de Esporte e Lazer, que ficará no entorno do Mangueirão. O secretário adianta que, primeiramente, será construído o ginásio do complexo, a pedido do governador Simão Jatene, já que as contas do governo não suportariam o investimento necessário para todo o empreendimento. O ginásio suportará um público de 10 mil pessoas.

O passo seguinte é seguir a agenda da candidatura, que prevê apresentação de relatórios sobre a infraestrutura de áreas de treinamento, questões turísticas e culturais das cidades, e dados meteorológicos. Já no segundo semestre deste ano, as cidades candidatas vão receber visitas técnicas de avaliação. O resultado será divulgado ao término dos Jogos Olímpicos de Londres, em julho de 2012.
Postar um comentário