05 maio 2011

Que noite!

Uma noite para entrar para a Historia da Libertadores e do futebol Brasileiro que insiste em ter um calendário de botonistas.
O Cruzeiro entrou pensando em Campeonato mineiro e jogo contra o Santos, o primeiro eles podem ir concentrando, no segundo somente no game sagrado da molecada.

Um time que podia perder por 1 a 0 e acabou tomando de dois e podia ser mais.

Roger expulso no primeiro tempo mandou para o lixo todo o sonho dos china azul. o que leva um jogador cobra criada como ele a cometer um asneira dessas, inexplicável e sem motivos justos. Uma falta cometida no meio de campo e o mundo de azul, se tornou negro.

Cuca também colaborou com mais horrores ao cotovelar Rentería.

Falavam tanto que o Cruzeiro era o melhor time das Américas e coisa e tal.. nao vi nada. O time no mineirinho e’ o tal., ja na vera da libertadores somente um time comum.

No segundo maior horror da Noite vi o Falcão na beira da relva trabalhar como comentarista e nada mais, mexe mal e tem um time que insiste em jogar pelo meio e tomou dois gols relâmpagos em jogadas pelas pontas.
Falcão se quiser continuar ,vai ter que jogar de vez a gravata e cair de cara no trampo, se entrar no cacete no gre-nal ,vai por o pijama.

Quem via a alegria  nas arquibancada podia imaginar que os colorados haviam goleados no Uruguai. O Penarol se apossou da cuia e tomou um chimarrao em pleno Beira Rio.
Mazembe segue vivo como nunca.

As larguras inacreditáveis do Fluminense acabaram, os guerreiros simplesmente aceitaram serem sitiados e tomaram o castigo. Uma goleada para não esquecer jamais!
O Gremio que na derrota em casa havia jogado a toalha, encarou a Universidad Católica (CHI) pensando somente em encarar o rival internacional pelo poderoso Campeonato Gaucho. Triste fim para a dupla gaucha.

Os quatros times brasilleiros eliminados foram horriveis, embora tenhamos titulos nas prateleiras, fica claro que para jogar o mata-mata da Libertadores , nossos treineiros precisam melhorar muito para nao causar essas noites de parque hopi- hari .
Postar um comentário