12 setembro 2011

enquanto isso, na Floresta... Rio Branco 2 x 1 Paysandu

Em uma partida tensa do começo ao fim, o Rio Branco (AC) venceu o Paysandu por 2 a 1, ontem à noite, no estádio Arena da Floresta, resultado que garantiu a classificação dos donos da casa, enquanto que os bicolores, agora, têm chances remotas de avançar para a segunda fase do Campeonato Brasileiro da série C.

De um amontoado de jogadores inoperantes na primeira etapa, prejudicados por uma formação sem audácia, a um time esforçado na segunda, o Papão viveu a mesma situação de rodadas anteriores: entrou mal escalado, na retranca, mas depois de algumas substituições, mudanças táticas e, principalmente, de postura, a equipe melhorou.

O jogo começou debaixo de chuva. Nos primeiros minutos, o Rio Branco ensaiou uma pressão, mas o Paysandu conseguiu equilibrar a partida. A diferença, no entanto, esteve na objetividade do time acreano, que esteve mais arrumado dentro de campo, enquanto que o Papão, prejudicado pela má atuação dos meias e sem movimentação ataque, não soube o que fazer quando teve a bola dominada. Com o campo encharcado, os donos da casa aproveitaram os lances de bola parada, pelo alto, para assustar os bicolores. A jogada funcionou aos 27 minutos, com Juliano César. Depois de pressionar com cinco cobranças de escanteios consecutivas, pelo lado esquerdo do setor defensivo do Paysandu, o Estrelão encontrou o caminho do gol.

Já na segunda etapa, com a entrada de Josiel e a saída de Luciano Henrique, o meia Robinho, que atuou no ataque durante todo o primeiro tempo, foi recuado para a sua posição de origem, dando maior velocidade e mobilidade ao setor ofensivo do time. Mas quem marcou foi o Estrelão, justamente no momento em que os bicolores eram superiores dentro de campo. Aos 23 minutos, Testinha chutou de fora da área e a bola desviou na zaga bicolor antes de entrar. O Papão continuou tentando, até que aos 39 diminuiu ao placar, com Rafael Oliveira. No final da partida, o goleiro Alexandre Fávaro ainda defendeu uma penalidade cobrada por Ley. O arqueiro bicolor, aliás, também foi para a grande área adversária tentar ajudar o ataque, mas já era tarde demais. A derrota foi consumada.  (Diário do Pará)

Postar um comentário