12 setembro 2011

Remo 4 x 0 Fábrica de Gelo , Festa em Augusto Corrêa

Você, que é peladeiro de final de semana, que gosta de bater aquela bolinha com os amigos, já imaginou em alguma vez na vida disputar uma partida de futebol contra uma equipe profissional? Um sonho, certo? Pois então, Romildo, que tem 34 anos – 12 anos só trabalhando na Fábrica de Gelo que recebeu o amistoso do Clube do Remo -, conseguiu realizar o sonho de muitos paraenses.

“Eu trabalho aqui na fábrica de gelo e a gente gosta bastante de bola, como os meus colegas, e pra gente é algo inacreditável jogar contra uma equipe profissional que assistia pela televisão, que só ouvia pelo rádio”, disse Romildo acrescentando que nunca imaginaria na vida receber o Clube do Remo para uma partida no campo da fábrica. “O cara que gosta de esporte, vendo uma torcida dessa aí é um incentivo muito forte, não só para mim, mas para todos os atletas, principalmente por nós jogarmos contra o time do Remo, contra o Clube do Remo”.

O time do Banespa, aonde o Romildo vem jogando regularmente no município de Augusto Corrêa, disputou a segunda divisão do campeonato regional e conseguiu a classificação para jogar a primeira divisão, que está acontecendo. Por isso, ele acreditou que o time poderia fazer frente ao Leão, principalmente pela gorda premiação (R$5 mil) oferecida pelo dono da fábrica de gelo, que é Paysandu assumido. “A gente vem treinando aqui, vamos tentar fazer uma boa partida. Espero que isso aconteça dentro de campo e quem sabe a gente consiga sair com uma vitória sobre um time profissional”, sonhou Romildo, antes de a bola rolar.

A força do Leão: o Remo parou Augusto Corrêa
O ônibus azulino segue pela rodovia estadual PA-242, acabara de deixar a cidade de Bragança há oito quilômetros, quando avista o fim da estrada asfaltada e o início de uma pequena ponte de madeira (em condições ruins). Ao se aproximar cada vez mais da ponte, pode-se ver uma pequena aglomeração de carros e motos perto de uma estrutura de concreto, aparentando um terminal rodoviário improvisado. Entretanto, quando o veículo azulino chega na ponte, pode-se ver melhor o significado da reunião dos automóveis, só que agora não eram uma aglomeração pequena, mas uma recepção enorme com a presença de dois ônibus convencionais lotados de torcedores e aproximadamente trinta carros e quarenta motocicletas, todos para escoltar o time azulino pelos oito quilômetros restantes até a cidade de Augusto Corrêa.

Com os torcedores remistas realizando uma verdadeira festa no percurso da carreata com bandeiras e buzinadas, o ônibus do Leão da Antônio Baena chegou à cidade de Augusto Corrêa e viu-se a população vestida com a camisa azulina, casas com bandeiras e mais carros e motos recepcionando os jovens atletas.

“É a primeira vez que o Remo vem para Augusto Corrêa. Por isso, vamos apoiar o Leão”, completou Manuel da Silva, que é presidente do União Futebol Clube, equipe local que realizou uma partida prévia contra o Banespa Master. (Diário do Pará)

Postar um comentário