16 setembro 2011

Pai, afasta de mim esse cálice

Dr...gil.pinga..tortura.. ressaca..ditadura e todas as coisas boas e ruins que me veem. tempos idos da rede boa..do pisar na parede..do balancar rapido e do sono chegando na mais  puta velocidade
Do livro no peito ..da garrafa debaixo da baladeira..da vitrola..das bolachas.


Do bar do Parque..de suas meninas ..bebados..jogadores..taxistas garcons..jornalistas ..dos que foram..dos que nunca foram e dos que podiam vir a ser..lamear o sapato em uma manga..dos respingos carinhosos vindo da mangueira.
Da amargosa cerpinha invadindo a garganta ..do cheiro da carne..

Dos acentos esquecidos, em frases bebadas de mais um fim de noite.


Postar um comentário