05 julho 2012

Kiros e Potiguar

Por Gustavo Pêna Belém
Deu no Globo Esporte PA 

 
O sotaque, daquele bem típico da região Nordeste, vai dando certo no Paysandu. Quando o meia Thiago Potiguar, natural de Currais Novos, cidade do interior do Rio Grande do Norte, começa a conversar com Kiros, nascido em Orocó, Pernambuco, um entende bem o que o outro quer dizer. E esse entrosamento vai se refletindo dentro de campo. Na vitória do Papão por 2 a 0 diante do Luverdense (MT), na segunda-feira, dia 2, no Estádio da Curuzu, pela estreia na Série C, a dupla nordestina marcou os dois gols que garantiu o clube na liderança isolada da competição nacional.


Kiros ajuda a compor o ataque "capra da peste" no Paysandu (Foto: Marcelo Seabra/O Liberal) 
Kiros atua no ataque "cabra da peste" do Paysandu (Foto: Marcelo Seabra/O Liberal)
O técnico Roberval Davino vem escalando Kiros e Thiago Potiguar como os homens responsáveis por fazer os gols do Paysandu. O primeiro joga mais avançado, como o “pivô” que precisa segurar os zagueiros na área adversária. Já o segundo pega a bola no meio e parti para o ataque, muitas das vezes abastecendo o centroavante bicolor.


O gol de Kiros foi legítimo de um atacante que tem como principal característica as jogadas áreas. Com 1,95 m, o jogador aproveitou cruzamento de Yago Pikachu da direita e abriu o placar na Curuzu. Foi o primeiro “cartão de visitas” do ataque “cabra da peste”.
- O Potiguar e eu sempre vamos nos dedicar ali na frente para ajudar o Paysandu a sair de campo com a vitória. Independente se jogo com ele ou o Rafael (Oliveira), seja quem o professor (Roberval Davino) optar, vou me esforçar para que a gente faça o torcedor sair de campo feliz com a nossa atuação. Agora é pensar no Guarani de Sobral – disse o atacante, falando da próxima partida do Paysandu pela Terceirona.
Yago Pikachu, pela direita, ajuda a abastecer o ataque com Kiros e Thiago Potiguar (Foto: Marcelo Seabra/O Liberal)Yago Pikachu, pela direita, ajuda a abastecer o ataque com Kiros e Thiago Potiguar (Foto: Marcelo Seabra/O Liberal)
Thiago Potiguar confessa que no primeiro tempo a dupla “arretada” não deu certo, pois estava jogando muito isolado no lado direito. Porém, na segunda metade da partida o meia consegiu fazer o gol naquela que é uma das suas especialidades: velocidade.
- Aproveitei a bobeira da zaga do Luverdense e consegui fazer o segundo gol, o que deu mais calma pra gente conseguir o resultado. Quando jogo pelo Paysandu dou minha vida, coloco o coração na ponta da chuteira e graças a Deus a gente ali na frente, Kiros e eu, além de todo o grupo, estamos unidos no objetivo de levar o Paysandu para a Série B.









Postar um comentário