13 janeiro 2013

Flor do Grão-pará

Lógico que lembrei de ti, e foi logo que acordei e olhe que não sou nem um pouco ligado em datas. Sempre tenho que recorrer a alguém ou as minhas anotações.

Mas nao somente hoje ,sempre especialmente lembro de ti. Do inicio ao fim de nosso namoro.

Mas teve um dia que eu resolvi partir e te deixar, eu era apenas mais um na tua vida tão sofrida. Foi um rompimento dolorido, carregava uma "cachorrinha" magrinha e um olhar brilhante no futuro.

De cara me apaixonei pelo meu novo mundo. Mas por mais que tentasse jamais consegui te esquecer, tuas saias coloridas e tuas ilhargas sofridas ,sempre me incomodavam.

Muitas vezes enchia a barriga e ia me embalar,na espera do sono preguiçoso e gentil que tu sempre me proporcionava. Muitas vezes não me incomodava com teu choro...banhavas a todos os teus amores e em muitos causava temores.

Olhando de longe, percebo que continuas festeira e que a idade nao te cansa nunca ,que segue tentando todos os dias se reerguer ,se integrar ao novo mundo ..segue gritando,sempre foste barulhenta .,!
Houve época que pensava em ser a primeira entre todas.Nao conseguiste.

Teus filhos são de todos os tamanhos.Tens marcas por todos os cantos,as boas acabam endurecidamente acobertando as enormes mazelas.

Mas hoje ,vais junto aos teus amores se lambuzar em um enorme bolo.Tu precisa desse dia para poder despertar novos amores e afagar os velhos. Vais bailar em ritmos alucinantes e esquecer por um dia as malditas feridas.

Distante ,bem distante ..posso rir. Mas também posso chorar.

Amanha será um outro dia e como há tempo para tudo....

Curada a ressaca com uma cuia de goma quente,a gente bem que pode ir pensando nas soluções ....
E na vera, criar uma Nova Luzitanea.

Postar um comentário