06 janeiro 2013

Samuel Cândido 'sonha' com título na Tuna

Treinador teve conquistas como jogador e treinador em Remo e Paysandu e agora mira título do Parazão com a Cruz de Malta

Por Gustavo Pêna
Belém (Globo Esporte/Belem)



Poucos são os jogadores que foram campeões também como treinadores em Clube do Remo e Paysandu. O fluminense Samuel Cândido é um desses casos raros no futebol do Pará. O técnico, que completou 52 anos no último sábado, conseguiu inúmeras conquistas pela dupla Re-Pa.

Atualmente como comandante da Tuna Luso, clube que revela ter bastante identificação, o “professor” definiu a sua meta para 2013: conquistar o título do Campeonato Paraense pela Cruz de Malta.


Como atleta, Samuel Cândido iniciou a carreira aos 11 anos, iniciando nas categorias de base de clubes do Rio de Janeiro. Lá teve passagem por Flamengo, Vasco e Madureira. Chegou ao Paysandu em 1982, conquistando o Parazão de 82 e 85. Após atuar pela Tuna, Cândido também vestiu a camisa do Remo. O volante encerrou a carreira aos 28 anos, iniciando logo em seguida a sua trajetória como treinador em um time de pelada de Belém.

- Recebi o convite de assumir o Coritiba, do bairro da Cremação. Chegamos até a final da competição que disputamos e começaram a surgir os comentários de que eu poderia dar certo como técnico. Aliei o conhecimento do futebol com sorte e muito trabalho para dar continuidade na profissão. Iniciei em 1989, na base da Tuna, passando também pelo Paysandu. Como profissional comecei na área em 1996. Fiquei na Tuna de 1992 até 2001 – lembra.


Títulos

Samuel Cândido se orgulha dos títulos conquistados em diversas equipes do futebol paraense, como os da Segundinha e Primeira Fase por Castanhal, Independente, Parauapebas, Carajás e Abaeté. Porém, os canecos mais importantes levantados pelo treinador são o Campeonato Paraense de 2007 pelo Remo e o de 2006 pelo Paysandu, esse com ressalvas. Apesar do técnico da final do Estadual daquele ano ter sido Ademir Fonseca, Samuel considera seu o título da competição.

- Eu conquistei a Taça Cidade de Belém (1º turno). No primeiro jogo da final do segundo turno nós vencemos, mas aconteceu uma troca no comando com a chegada do Ademir Fonseca. O Paysandu perdeu por 3 a 2 e levou o campeonato nos pênaltis. Pelo trabalho desenvolvido no clube também considero aquele título como meu.
Conquistas inesquecíveis
Cândido, conhecido pela disciplina nas equipes que treina, lembrou das suas maiores conquistas durante a carreira como treinador, mas não citou os títulos e sim duas partidas, sendo que ambas foram pela Tuna Luso. O técnico conta que nem sempre o importante são as faixas de campeão, mas outros desafios que os times conseguem ultrapassar ao longo dos campeonatos.

- Lembro da decisão do segundo turno do sub-20, em 1996. O Remo ganhava por 3 a 0 dentro do Estádio do Sousa. Diminuímos aos nove e aos 14, empatamos aos 35 e viramos aos 43 minutos do segundo tempo. Foi uma grande alegria. No mesmo ano precisávamos ganhar cinco jogos para classificar. Vencemos o Paysandu dentro do Estádio da Curuzu, o Remo e os outros três times. Foi uma arrancada da Tuna que até hoje muita gente não esquece.


Falta de oportunidade

Além de passagens por clubes do futebol do Pará, Samuel Cândido já treinou equipes do Rio Grande do Norte e Sergipe. O técnico não acredita que teve falta de oportunidade em grandes equipes do cenário futebolístico brasileiro. Segundo ele, com o Paysandu disputando a Série B do Brasileiro e com o Remo crescendo e chegando à Terceirona, os treinadores regionais ganham mais chances de mostrar seus trabalhos.

- O mercado do futebol é fechado, restrito. Ficamos felizes com o Paysandu retornando à Série B. Com os grandes da capital bem nos campeonatos, as oportunidades para os treinadores locais eram maiores, mostrando seus potenciais nesses clubes para que depois pudessem trabalhar fora do estado. Conseguindo fazer um grande Paraense pela Tuna, com certeza vamos colocar nosso trabalho em evidência para o resto do Brasil.

Samuel quer conquistar o Parazão com a Tuna


Entre as suas diversas passagens pela Tuna, Samuel Cândido considera o seu maior feito a participação na Copa João Havelange de 2000, no Módulo Verde – equivalente à Série C -, quando a Cruz de Malta conquistou o acesso para a Série B, disputando com mais 55 times. Agora, segundo o comandante, a missão é conquistar o título do Parazão com a Águia do Sousa.

- Temos realizado um trabalho árduo com a Tuna e esperamos uma resposta já nos primeiros jogos, surpreendendo com a conquista do primeiro turno do Estadual. Sou um técnico repetitivo, perfeccionista, que cobra profissionalismo dos atletas. Estamos no caminho certo. Treinei Remo e Paysandu e consegui conquistas. Na Tuna tive títulos somente na base e ainda falta essa conquista no futebol profissional.
Postar um comentário