03 março 2013

Para Edil, atacantes nao estão enganando as torcidas






Deu no Globoesporte.com/ Belém 
Frontini, Didi, Finazzi, Adriano Magrão, Moré, Pantico... A lista de atacantes que passaram por Clube do Remo e Paysandu nos últimos anos e não deram certo é extensa. Os investimentos quase sempre deram errado. Porém, no Campeonato Paraense 2013, parece que os dirigentes azulinos e bicolores acertaram nas contratações. A avaliação é feita por Edil, um dos maiores goleadores que já vestiram as camisas de Leão e Papão.
Edil é lembrado até hoje pelos gols e comemorações folclóricas jogando por Remo e Paysandu. Um dos maiores goleadores dos Re-Pas disputados no Estádio Mangueirão, com 10 gols marcados, ele ganhou apelidos em Baenão e Curuzu. No Leão, o ex-jogador era conhecido como "Braddock". Já no Papão, ele incorporou o personagem "Higlander". Com as atuações de Rafael Oliveira e João Neto, pelo Papão, além de Fábio Paulista e Val Barreto, pelo Leão, Edil acredita que, enfim, o torcedor pode se orgulhar dos atacantes que tem.
- Hoje Remo e Paysandu conseguiram ter, cada um, dois atacantes de nível elevado. O futebol paraense estava precisando disso. Desde a fase de Edil, Ageu e Cabinho que ninguém conseguia fazer muitos gols por aqui. Só vieram enganadores. Esses atacantes não estão enganando a torcida. Esse ano o diferencial é que esses jogadores de frente estão fazendo gols. Mas não tem só que ficar por ai. Não adianta fazer dois no time pequeno e não marcar no clássico. É no Re-Pa que aparecem os grandes jogadores – disse.
Edil, jogando pelo Paysandu, incorporando o apelido de "Carrasco" (Foto: Arquivo pessoal)Edil, jogando pelo Paysandu, incorporando o apelido de "Carrasco" (Foto: Arquivo pessoal)
No Paysandu, Rafael Oliveira e João Neto são essenciais para o clube ter o melhor ataque do Parazão, com 28 gols marcados. Rafael Oliveira divide a artilharia da competição com Aleílson, do Paragominas. Eles já marcaram nove gols. Por outro lado, João Neto vem logo atrás, com oito gols. Edil elogiou a dupla bicolor, mas também não deixou de dar conselhos, em especial para Rafael Oliveira e Iarley.
- O Rafael Oliveira vem dando a volta por cima nesse campeonato depois de sofrer algumas críticas. Ele só precisa melhorar nas oportunidades. O Iarley todo mundo sabe que pode render mais, porém tem que jogar e realmente mostrar o motivo de ser contratado com tanta festa. Não tem que ser esse negócio de talismã, entrando só no segundo tempo. No meu tempo goleador era goleador e resolvia desde o início.
Fábio Paulista é um dos destaques no ataque do Remo (Foto: GLOBOESPORTE.COM)
Fábio Paulista é um dos destaques no ataque
do Remo (Foto: GLOBOESPORTE.COM)
Edil também fez avaliações com relação aos atacantes do outro lado da avenida Almirante Barroso, Fábio Paulista e Val Barreto. Ambos estão empatados na artilharia do Estadual, com seis gols, cada. O "Braddock" avalia que realmente Val Barreto é um ‘xodó’ da torcida, mas que, se quiser se tornar ídolo, precisa ganhar a vaga de titular no time azulino.
- O Remo tem o Val Barreto e o Fábio Paulista, atacantes que estão mostrando faro para artilheiros. O torcedor quer ver isso e eles têm condições de fazer muito mais. Com relação a esse negócio de ídolo, falta muito mais. O jogador vira ídolo com gol. Ídolo não pode ficar no banco de reservas, como acontece com o Val Barreto. O legítimo camisa nove atua em todos os jogos, caso contrário não ganha ritmo de jogo e não aprimora a pontaria. Eu nunca fui reserva por onde passei. Meu negócio era entrar em campo e fazer gols.
Postar um comentário