25 outubro 2013

Zagueira da Tuna Luso sobre derrota: “Não temos a mesma estrutura”



A equipe da Tuna Luso-PA veio a São Paulo e não voltará para Belém com a melhor sensação após a derrota de 5 a 1 para o Centro Olímpico, pela segunda rodada da 2ª fase do Brasileirão Feminino Caixa. Uma das jogadoras mais experientes do grupo, a zagueira Driely reconhece os erros da equipe paraense, mas acredita em uma volta por cima na competição. “Nosso time deu o máximo até o fim, mas falhamos em alguns setores do campo. Tivemos alguns desfalques importantes, tanto no meio campo, como na lateral. O jogo ainda virou 2 a 1”, lembrou.
Há sete anos atuando na equipe, Driely revela que as jogadoras da Tuna Luso não são profissionais, por isso precisam aliar o futebol a outra atividade. No caso dela, divide o tempo que tem para treinar durante a semana com o supermercado onde trabalha no período da manhã. “O time do Centro Olímpico é profissional. Diferentemente da gente. Somos guerreiras. Lutamos todos os dias para treinar e conquistar nosso espaço lá no Pará. Não temos a mesma estrutura que elas têm aqui. O Centro Olímpico está de parabéns, mas vamos aguardar o jogo da volta em casa”, avisou.

 
A zagueira de 25 anos ressalta que a equipe cresce jogando em seus domínios, onde venceu o São Francisco-BA por 3 a 0 na rodada passada, e mostra confiança para o duelo entre os times em Belém, previsto para o dia 20 de novembro. “Vamos tentar buscar a vitória dentro casa, até porque lá dentro é diferente. É nosso clima, nosso Estado, nosso campo, onde a gente treina, e vamos tentar fazer a diferença”, disse Driely.
O fato de ter jogado no Estádio do Pacaembu, independentemente do resultado, foi uma realização para a equipe da Tuna Luso, segundo Driely. “Foi uma emoção para muitas jogadoras. Eu já tive a oportunidade de jogar aqui pela Copa do Brasil quando atuava pelo Pinheirense. Foi importante para a maioria e uma felicidade muito grande. Espero que tenha sido o primeiro de muitos. Vamos lutar para ir longe na competição”, assegurou.

Com todo sacrifício que a vida de jogadora de futebol exige, Driely vê na competição nacional uma motivação a mais para continuar a carreira dentro dos campos. “A gente treina na dificuldade. Não levo o futebol como profissão. Levo mais com o amor e a paixão. Mas agradeço de estar aqui tendo a oportunidade de disputar esse Campeonato Brasileiro. Espero fazer história e se consagrar junto com minha equipe já para o ano que vem”, concluiu.
O próximo jogo da Tuna Luso no Brasileirão Feminino será contra o líder do Grupo 5, São José, marcado para o dia 13 de novembro, no Estádio Francisco Vasques, em Belém.
(Reportagem de Felipe Araujo) no Fox Esportes


 
Postar um comentário