26 julho 2014

Despedida de Deco

Algumas despedidas são doloridas, as vezes temos que passar por algumas delas. Deixar os filhos no aeroporto para uma temporada fora de casa, o amigo transferido de cidade, a perda do emprego,alguem que parte desta para uma bem pior,enfim, são tantas as formas de despedida.
No futebol quando nos deparamos com uma,nem sempre ela tem a devida importância,não falo dessas despedidas movidas a carretas de dinheiro, mas sim da pendurada de chuteira, quando um grande ídolo parte para a aposentadoria, deveria ser uma coisa festejada no limite,de encher o estadio, um dia verdadeiro de festa.
Deco, o luso-brasileiro deixou os relvado no final de 2013,com a camiseta do Fluminense ,mesmo passando algumas meses, sua despedida foi tratada como um evento de primeira no estadio do Dragão,do FC do Porto, e não podia ser diferente.
As bancada do Dragão estavam apinhadas de adeptos, adeptos do passado,se misturavam com os do presente, aos do futuro.
Deco jogou com a camisetas de dois emblemas que marcaram sua carreira. Barcelona e Porto.um tempo por cada equipe,um gol por cada uma delas.Jogadores das equipes campeãs da Europa de 20004 e 2006 se fizeram presente .
Deco desfilou sua elegante técnica na despedida.Suas palavras finais
-Por tudo aquilo que fui no futebol,estou eternamente grato a vocês-
Haviam figuras importantes na festa para Deco, mas a importância maior em dia do MAGICO, foi saber que o jogador,o clube e os adeptos tornaram a despedida algo de bom para o futuro.
Uma despedida repleta de reconhecimento por todos. uma regra básica, a de que devemos saber nos despedir de nossos craques, sejam eles do grande Porto, do Vasco ou da Tuna. Não importa o tamanho do chutador e nem da camiseta, o mais valioso nisso tudo são os ganhos para ambas as partes.
Postar um comentário