14 abril 2015

Saiu Carsughi e entrou Vampeta


Nem bem o cara do alto falante termina de anunciar a substituição e o couro come em cima de quem cometeu o desaforo, e não podia ser diferente. Eu sou um apaixonado por rádio, não vivo sem ela. Seja nas Ilhas Fiji ou no diabo que os parta, sempre procuro uma e foi em uma passagem por São Paulo que tive o prazer de conhecer a Pan,eram outros tempos, eu envolvido em conhecer melhor o meu mundo fiquei encantado com a Pan e de imediato ela entrou no meu caderninho de anotações, ao lado das fichas de jogos da Tuna e outras favoritas. riscado que somente eu conseguia decifrar.
Lembro que grifei algumas coisas no tal caderno, mas umas poucas me ficaram gravadas neste misero HD. Uma tinha haver como a hora certa, uma coisa comum nas rádios e que cada uma procura enfeitar a sua maneira. O locutor titular falava 11 e tal.. e o outro falava -repita-.Um nome nas transmissões esportivas me deixou animado,Claudio Carsughi. Sua maneira reta de falar dos lances e de toda as coisas envolvidas no jogo de futebol,aquela fala firme e com todo o sotaque um pouco pesado, e sem contar que o cara impunha convicção quando o assunto a comentar,era automobilismo.Uma época cheia de Zé Ruelas e eu me deparava bem de frente com um que sabia do que falava,para mim ele era uma referencia dos diabos e o melhor pertencia ao cast da Pan.
Nunca deixei de esquecer o Carsughi e nem outras coisas boas que haviam na rádio, o tempo passou e eu fui mudando,mudando..mas o Carsughi seguia lá ..e sempre que zapeava os jogos dos times paulistas, eu o encontrava , a semana passada foi a ultima vez que eu o escutei na pohra daquele prefixo, há muito que as malditas mudanças vem acontecendo naquele prédio, a rádio se tornou raivosa,ficou fácil de notar,fosse as 5 da tarde ou as 5 da manha.
Aqui neste link tem uma historinha boa de se ler, sobre Carsughi e etecetra.
Postar um comentário