09 setembro 2011

Tuna Luso X Iranduba ( 16 hs) - guerreiras do Souza,decidem uma vaga nas quartas-de-final da Copa do Brasil de futebol feminino

Em meio ao amadorismo, futebol feminino se agarra na solidariedade
 Redação Portal ORM

No dia em que as lusas da Tuna decidem uma vaga nas quartas-de-final da Copa do Brasil de futebol feminino, o fisioterapeuta do clube, Rui Bentes, concedeu entrevista aoPortal ORM e disse: 'Aqui, trabalho como se fosse um voluntário. Quero somente ajudar estas meninas. Elas são guerreiras'. Tuna e Iranduba (AM) se enfrentam às 16h desta quinta-feira (8), no Francisco Vasques, em Belém.


Há três anos no clube, Bentes contou que o esporte 'anda necessitado de pessoas que queiram ajudar'. 'Se no futebol masculino, a gente já enxerga alguns problemas financeiros, imagina no feminino, que não tem tanta divulgação. Hoje, quem quer trabalhar para ajudar o futebol de alguma forma, pode chegar no feminino que tem vaga garantida. Só não esperem remuneração normal, porque nem as atletas - que são domésticas e estudantes, na maioria - possuem isto. Elas recebem ajuda de custo por jogo', contou.


No entanto, Bentes aponta que o Pará está no caminho para chegar próximo à profissionalização. 'Passamos apenas pelo terceiro ano de campeonato paraense de futebol feminino e, a cada ano, a quantidade de times vai aumentando. Está crescendo o interesse pelo esporte. Agora, é só buscar investimentos', disse.


Na Tuna, os investimentos são buscados pelos próprios integrantes da comissão técnica. 'Nos reunimos de vez em quando para falar sobre isto. Depois, falamos também com alguns dirigentes sobre o assunto e assim vamos tentando manter a Tuna no auge', relatou. A Tuna é atual campeã paraense após vencer o primeiro e o segundo turnos da competição e é a única representante do Pará na Copa do Brasil.


Aos interessados em participar dos trabalhos no futebol feminino da Tuna, o fisioterapeuta Bentes, que está fazendo especialização em medicina desportiva feminina, adianta que há vagas disponíveis. 'Para agora, pode-se dizer que estamos precisando muito de um fisiologista e de um psicólogo, mas há espaço para todos', ressaltou.


A Tuna, com este espírito de solidariedade, enfrenta hoje o Iranduba (AM), às 16h, no estádio Francisco Vasques - o Souza -, precisando vencer por pelo menos dois gols de diferença para se classificar. Em caso de uma vitória tunante por 1 a 0, a decisão vai para os pênaltis, mas se o placar terminar empatado ou com qualquer placar com um gol de diferença a partir de 2 a 1 (3 a 2, 4 a 3, 5 a 4...) a vaga será das amazonenses.


O trio de arbitragem será formado por José M. Souza da Costa, auxiliado por Rosenir Amador de Oliveira e Arlene Barreto Souza. Já os ingressos estarão com o valor de R$ 5.


Postar um comentário